Escolha uma Página

HISTÓRIA

Este simpático casal polonês desembargou de um navio em Curitiba, ou quase, em 1981, cheio de sonhos e esperança, de vida melhor e livre da opressão, além de oportunidades que a Polonia infelizmente não oferecia, situação essa que hoje foi vencida e nos enche de orgulho.

Pois bem, a primeira receita de pierogi foi feita praticamente com a babcia, Czeslawa Kawale junto, já que em 1989 ela veio nos visitar. Os primeiros eventos foram festas típicas no Bosque do Papa e São Francisco.
(foto 1,2)
A inspiração e o talento para a culinária não vieram só da minha avó. Meu avô Stanislaw Kawalec, que no periodo da II Guerra Mundial, era cozinheiro no exercito polonês, e o maior incentivador para a viagem ao Brasil que mudaria para sempre a historia da nossa família.
(foto 3,4)

Após realizar eventos aqui e ali, surgiram as feiras gastronômicas de rua, na época, fundadas por Jaime Lerner, e apoiadas por sucessores com Rafael Greca e Cassio Taniguchi. Lembramos bem da Feira em Comemoração aos 300 anos de Curitiba. A cidade que nos roubou o coração para sempre.
(foto 5, 6)

O casal foi convidado para juntamente com outras etnias, abrir um estabelecimento, que se localizava na antiga loja Modelar, situada a Rua Vicente Machado. E se chamava Casa do Pierogi, para quem lembra, era um chalé fofo, um lugarzinho pequeno mas aconchegante, com lambrequim desenhado por eles e enfeitado com desenhos da artista Wanda Franczak.
(foto 7, 8)

Juntamente com o novo empreendimento, o casal foi convidado para comandar as famosas Festa da Vodka, patrocinadas pela Vodka Smirnoff, e realizadas na Sociedade União Juventus, naquela época um dos clubes mais importantes de Curitiba.
Afinal juntos, Roma e Miro cozinhavam um cardápio inteiro de comidas típicas polonesas e não somente o pierogi. Dessa fama, atenderam centenas de eventos, formaturas, casamentos e marcaram a vida de muitos com o sabor, a qualidade e a dedicação admirável.

Opa, aqui entra uma duvida e nos esclarecemos. Mas o Tadeu, o Rei do Pierogi… tem alguma coisa a ver, etc.
Sim, tem tudo a ver, mas também nem tanto. Tadeu e Romana são irmãos. Vieram juntos da Polonia. Respectivamente com seus conjuges e após alguns anos morando aqui, tiveram a ideia do pierogi. Tadeu viu a oportunidade e Romana era a mão que produziria os primeiros pierogi. O que aconteceu…
Basicamente cada um tinha um talento e varias visões, e depois da primeira experiência juntos, cada um seguiu suas ideias, o que foi maravilhoso para eles e para a cidade que pode ter experiencia gastronômica polonesa em dobro.

Isso tem tudo a ver com o que segue na historia.

Com o sucesso consecutivo desta parceria, em meados de 1992 o casal foi convidado novamente pela Sociedade União Juventus, para dirigir as cozinhas da Sede Social, onde lembramos bem do II Congresso Polonico da America Latina, o mais importante evento já realizado em Curitiba, voltado para os poloneses. E tambem a cozinha da Sede Esportiva, onde possuíam buffet para os associados, além de todas as refeições dos colaboradores dos complexos.

Em 1992, a Sociedade Uniao Juventus foi ao programa Nações Unidas do Gugu no SBT, concorrer contra a Espanha, numa brincadeira de jogos que premiava o grupo vencedor. Uma delas era apresentar as comidas típicas, e o casal com sua filha, eu no caso, realizamos a tarefa com esmero, e ficamos extremamente felizes com essa participação, apesar de termos perdido.

Em 1993, quando as gravações da telenovela Sonho Meu da emissora Globo vieram a Curitiba, gravações foram realizadas no Bosque do Papa II, e adivinha quem compôs a mesa farta e deliciosa de pratos poloneses: o casal Miro e Romana.

Em 1994, em uma das festas do Bosque do Papa, foi organizado o Concurso do Melhor Pierogi. O júri era composto por 4 integrantes, que analisaram 6 concorrentes, levando em consideração, o sabor, a massa, o recheio, o molho. O resultado consagrou o Pierogi do Miro, por unanimidade, como o Melhor Pierogi de Curitiba.

Foram gloriosos anos de festas regados a muito pierogi, carnes tipicas, como klops, pernil, lombo, posta recheada, leitão, knedle, charuto, placki, além de um vasto cardapio que incluia peixes, diversos acompanhamentos e sobremesas. Para quem fez seu casamento, formatura, ou jantar neste periodo o nosso muito obrigado, pela confiança e memorias.

Durante essas tres decadas a família, porque já me inclui nessa loucura com 10 anos, atendeu inumeros coquetéis para o Consulado da Polonia , festividades polonesas em Santa Catarina e São Paulo, Brusque, Morretes e São Bento do Sul, sem nunca ter deixado de fazer as feirinhas la do começo. Amamos a ideia de servir algo complexo, como uma comida típica, numa rua, de maneira despretensiosa e justa. E as Festas Beneficentes como a de Santa Rita, São Francisco, Bosque do Papa com o calendário de festividades polonesas.. A dupla tambem atendeu eventos realizados em outras duas sociedades polonesas Kosciusko e Pilsudski.

Cansou: pois é.. aqui tem historia.

Realizamos todas as Feiras Especiais da praça Osorio desde a sua fundação. Nossa banca também é conhecida pelo charutinho, torta de maça, batata e frango `polaco´, pelas opções de recheios do pierogi e molhos.

Neste ano a historia de dedicação e amor a gastronomia e cultura polonesa dessa família completa 30 anos! Hoje formamos uma família, uma grande família que acompanha nossa jornada da melhor maneira, apreciando nossos pratos, sugerindo, nos seguindo nas feirinhas, permitindo que o pierogi esteja nas vossas casas. Presente em momentos de memoria, alegria e seja sinônimo de boa e justa refeição.

Open chat